No ano passado eram 8 homens, subiu para 6 e agora são quase 5 os que possuem a mesma riqueza que metade da população mundial.

Em efeito crescente, os super-ricos estão concentrando cada vez mais riqueza e por conseguinte aumentando a desigualdade social. Uma análise dos dados de 2016 revelou que os 5/10 mais pobres da população mundial possuem cerca de US$ 410 bilhões em riqueza total. Desde o dia 8 de junho de 2017, os cinco homens mais ricos do mundo detém mais de US$ 400 bilhões em riqueza. Assim, em média, cada “super-rico” possui tanto quanto 750 milhões de pessoas.

Capitalismo: 5 pessoas possuem quase o mesmo que metade da população mundial

Por que algumas pessoas se apropriam de grandes porções da riqueza mundial?

A maioria dos super-super-ricos são norte-americanos. Os defensores da diferença de riqueza fora de controle insistem que tudo está bem, porque, afinal, trata-se da chamada “meritocracia”, na qual os super-ricos “mereceram” tudo o que têm. Mas não é bem assim. Apenas em 2016, o 1% mais rico se apropriou de efetivamente cerca de US$ 4 trilhões de riqueza do resto do país, com quase metade da transferência de riqueza (US$ 1,94 trilhão) provenientes dos 90% mais pobres – as classes média e baixa; isso é mais de US$ 17.000 em habitação e poupança por família pobre. Isso acontece, efetivamente, porque uma pequena minoria é proprietária dos meios de produção, das máquinas, fábricas, terras e de todo o poderio econômico resultante, ocasionando uma acumulação de capital cada vez maior, cuja parte do montante é reinvestida no mercado financeiro, expandindo ainda mais tais riquezas. A classe trabalhadora, os 99%, permanecem reféns da grande burguesia transnacional, possuindo apenas a própria força de trabalho e fragmentada em indigentes, aqueles que sequer possuem o suficiente para se alimentar (quase 1 bilhão de pessoas), trabalhadores(as) pobres, que ganham salários baixos e trabalham de forma precária e os setores médios, com remuneração mais satisfatória, mas ainda escravos do grande capital e privados de uma vida livre e plena.

A riqueza da humanidade é obra da própria humanidade em seu conjunto

Os bilionários norte-americanos fizeram o seu dinheiro por causa da pesquisa, inovação e infraestrutura que constituem a base das tecnologias modernas, financiadas socialmente, através do Estado, bem como dos avanços técnicos de séculos, através do trabalho manual e intelectual de todas as gerações humanas, em intercâmbio permanente com o planeta. Ninguém faz nada sozinho, para alguém despender horas de seu tempo em estudo e qualificação, é necessário que outros trabalhem para garantir a alimentação, saúde, segurança e a própria educação. É indispensável que haja pesquisa e estudos em outras áreas para curar cada vez mais doenças, avançar as forças produtivas dos mais diferentes ramos para consequentemente toda a produtividade social aumentar. Eles foram apontados como responsáveis, juntamente com suas fortunas maciças, por sucessos que derivam da sociedade e não de alguns indivíduos, logo não deveriam se apropriar da riqueza historicamente construída por bilhões de seres humanos, que hoje padecem na miséria, desemprego, subemprego e escravidão assalariada.

Fonte: http://billmoyers.com/story/now-just-five-men-almost-much-wealth-half-worlds-population/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *